03. A Filosofia: surgimento

Na passagem do século VII para o VI a.C., a sociedade grega passa por algumas transformações históricas que levam à crise do pensamento mítico.

Alguns gregos, oriundos de colônias localizadas no Mar Egeu e suas adjacências, começam, então, a buscar novas formas de pensamento que expliquem a origem do mundo sem o recurso aos Deuses. Essa busca pressupõe a constatação de que o discurso pode levar à verdade, não mais considerada um privilégio secreto e misterioso, revelada apenas aos sacerdotes, mas sim algo público, suscetível de ser descoberta, ensinada e transmitida a todos.

No século V a.C., Pitágoras de Samos inventa a palavra que designará, até hoje, a postura adotada por essas pessoas: FILOSOFIA. Literalmente, significa a amizade (FILO) pela sabedoria (SOFIA), indicando que a sabedoria completa e plena não é propriedade de qualquer ser humano, mas que todos podem e devem amá-la e desejá-la.

O filósofo deseja, assim, incessantemente, encontrar a sabedoria. Sabe que nunca a possuirá integralmente, mas sempre precisará buscá-la. Aquele que se considera seu possuidor e deixa de procurá-la, dela começa a se afastar. Perde o desejo e deixa de ser um filósofo.

bibliografia sugerida: CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. Unidade I, cap. 1 e cap. 2.

Autor: Prof. Adriano Ferreira

Doutor em Filosofia e Teoria Geral do Direito (USP) Doutor em Ciência Política (PUC-SP) Doutor em Literatura Brasileira (USP)